sexta-feira, 27 de maio de 2011

Pesquisas atestam: preço e rótulo podem enganar o Sommelier: Nós já sabíamos!!


Aqui no DegustEno você sabe qual a máxima, né?!
Bons vinhos não estão necessáriamente nas garrafas mais caras. Essa sempre foi a filosofia do blog e fica notório quando olhamos para os rótulos aqui postados e seus preços.

Pois bem, leiam essa reportagem do jornal Folha de São Paulo.

A galera "especialista" (sommelier quiçá, formados) submetida a umas pegadinhas científicas, geniais diga-se de passagem, ficou entoando mantras nirvânicos para vinho de mesa só porque estavam engarrafados e etiquetados como grand cru (vinho de excelência)!!
Em outro experimento, um corante que deixou o vinho branco com aparência rosé, SEM ALTERAR O GOSTO, foi o suficiente para as análises gustativas mudarem totalmente.

E mais, quando colocam 3 taças de vinho na frente do especialista onde duas das quais são idênticas, em um terço das tentativas, eles são incapazes de apontar qual a amostra diferente.

Leiam:
Link direto para o jornal: http://www1.folha.uol.com.br/comida/921535-preco-e-rotulo-do-vinho-podem-enganar-sommeliers-dizem-estudos.shtml


A matéria é do articulista Helio SCHWARTSMAN.

A Associação de Brasileira de Sommeliers diz que é isso mesmo. "Ninguém tem coragem de falar mal de um vinho famoso. Somos induzidos, sim". 
É isso amigos, o DegustEno sempre evitou que o papel que dá nome à garrafa fosse mais prazeiroso que o líquido contido nela.
Continuem por aqui.

Saúde!!

2 comentários:

Edgard Piccino disse...

Com certeza muitos (ou todos) os "especialistas" tomam rótulos. Por isso adoramos fazer degustações às cegas, que sempre reservam ótimas surpresas.

Outro dia fizemos uma degustação às cegas com o Marques da Casa Concha e ele se saiu mal. Postamos a degustação e recebemos comentários indignados...

http://vivinhos.blogspot.com/2011/01/marques-de-casa-concha-chile.html

Imfernandes disse...

Pois é, Edgard. Um vinho dito de excelência parece que não pode ser mal avaliado. Em contrapartida, vinhos de menor expressão (ou fama)ficam marginalizados e a tal popularização do vinho nunca acontece.

Será que isso muda??rs