sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Marcus James Reserva Especial pinotage 2007 (Brasil)


A série de vinhos fáceis e baratos continua e dessa vez é um brazuca quem dá o ar da graça.

O Marcus James é uma linha da vinícola Aurora situada na Serra Gaúcha. Figurinha muito fácil em mercados de todo país, você provavelmente já se acostumou a ver aquele rótulo que é um losango. Mas há algum tempinho a linha está frequentando os supermercados com um rótulo mais bonito de designação "reserva especial". Desde que vi pela primeira vez já desconfiei ao mesmo tempo que tive curiosidade. Por quê?
Por causa das safras. Reserva especial me remete a uma guarda maior do vinho, mas os vinhos que estão aparecendo com esse título são da safra de 2007!!!
Acho que é só uma questão comercial mesmo, até porque seu preço é via de regra o mesmo da garrafa do losango.

Eu resolvi experimentar o pinotage, uva que já foi provada aqui no vinho Two Oceans sul-africano, país símbolo e originário da uva.

Esse Marcus James é na coloração um vinho nem tão brilhoso e meio violeta. Nem tanto quanto um carménère, mas diria que quase lá. Suas lágrimas são constantes e rápidas. Seu teor alcoólico é de modestos 11,5°.
Consequentemente você já deve imaginar que cheiro de álcool ele não tem. E não tem mesmo. Seus odores estão entre o defumado da uva e o tabaco. Mas nem um nem outro foram absolutamente claros para mim. Preciso treinar melhor as narinas! rsrs

Na boca sente-se logo no início o adocicado. O vinho é demi-sec como diz o rótulo e portanto, sabe-se que há alguma adição de açúcar.
Ele não confirma o defumado na boca e nem deixa a persistência que o Two Oceans deixa. Está longe deste último. Praticamente sem a presença dos taninos. É bem leve, mas me enjoou tomar mais de uma taça, talvez por causa desse "adocicado" que apresentou.
Eu não exitaria em usá-lo com uma pessoa que está saindo dos vinhos suaves para os secos. É para o dia-a-dia mesmo. Comprei minha garrafa por R$ 10,90, mas não é difícil vê-lo por R$9 ou R$8 por aí.

Para quem espera um vinho pro cotidiano, ele pode ser classificado com três taças. Mas para quem queria sentir algo de pinotage nele, leva duas taças. Esse é meu caso.

Um comentário:

francine disse...

Curiosidade ... cai aqui em seu blog .. e gostei da forma q escreve... Por acaso vc já experimentou o Carinae? é um vinho Argentino...

queria saber suas impressoes sobre ele ..

abraço